Abertura total do mercado livre de energia depende de reformas, diz MME

A abertura total do ambiente de contratação livre de energia (ACL) dependerá de reformas estruturais do setor elétrico brasileiro, disse nesta sexta-feira Rodrigo Limp, secretário de energia elétrica do Ministério de Minas e Energia (MME).
Em dezembro do ano passado, o MME aprovou novas etapas de abertura mercado livre,reduzindo o limite mínimo de carga de consumidores elegíveis para atuar nesse mercado. A
partir de janeiro deste ano, a carga mínima exigida foi reduzida para 2 megawatts (MW). A
portaria prevê ainda que a carga mínima para o ingresso no mercado livre será reduzida para 1
MW em janeiro de 2022 e, em janeiro do ano seguinte, haverá nova redução, para 500
quilowatts (kW).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *